Furacão Irma

Oi pessoas lindas tudo bem com vocês?

Hoje vim compartilhar com vocês um pouco da nossa aventura (bem literalmente falando) na Flórida no mês de setembro. Como alguns sabem (e se você não sabe me segue lá no insta JÁ), eu e a minha família faríamos um cruzeiro pelo Caribe saindo de Fort Lauderdale no dia 10 de setembro. Até aí tudo lindo, né minha gente? Meu irmão já estava na Disney há alguns dias, meus pais estavam em Fort Lauderdale curtindo uma praia e eu e o marido embarcamos no início da semana, pois nosso cruzeiro sairia no domingo.

Nosso voo saía de Curitiba no final da tarde de uma terça feira, e naquele dia já começamos a ver as notícias sobre o grande furacão que estava se formando na região. Alguns amigos preocupados também nos mandaram algumas mensagens, mas nós embarcamos mesmo assim e o voo foi super tranquilo. Chegamos em Fort Lauderdale no outro dia pela manhã, pegamos o carro alugado e seguimos para o hotel para encontrar com meus pais.

Já na chegada, minha mãe estava muito apreensiva pois o furacão havia ganhado força e atingiria a Flórida em cheio. Fizemos nosso check-in no hotel e a recepcionista não tinha uma posição ainda sobre quais providências seriam tomadas devido à chegada do furacão, que a esta altura já havia atingido a categoria 5, nível mais alto da escala utilizada para medir este tipo de tempestade.

Ainda na recepção do hotel recebemos um e-mail informando que nosso cruzeiro havia sido cancelado devido à passagem do Furacão Irma. Foi aí que percebemos que tínhamos que tomar uma decisão sobre que rumo nossa viagem iria tomar. Conversamos e decidimos que o melhor a fazer seria ir para Orlando, pois a cidade está no centro da Flórida e por não ser litoral os estragos certamente seriam bem menores depois que o furacão passasse. Naquela ocasião, a probabilidade de o furacão desviar ainda era grande, então talvez nem chegasse a atingir a cidade.

Com a decisão tomada (tudo isso na primeira hora que estávamos nos Estados Unidos), entrei em contato com a Happy Viagens (minha agência de viagens aqui no Brasil) e eles com todo cuidado e paciência do mundo conseguiram organizar tudo, desde hotel até carro, para que seguíssemos para Orlando.

Passadas algumas horas, o Governador da Flórida emitiu uma ordem de evacuação da região em que estávamos, mas como já tínhamos resolvido tudo, ficamos tranquilos. Na calmaria antes da tempestade e com tudo resolvido, fomos passear pela cidade de Fort Lauderdale e curtir um pouco, afinal estávamos de férias…

Quando voltamos à noite para o hotel recebemos do gerente uma carta informando sobre a evacuação, e nos dando total assistência para transporte e relocação, mas como fomos rápidos já tínhamos tudo sob controle. No dia seguinte ali por 5:30 da manhã já estávamos pegando estrada em direção à Orlando, já que estávamos preocupados com o trânsito de carros fugindo do furacão.

Alerta recebido no celular.

Todos os pedágios haviam sido suspensos no Estado da Flórida para facilitar o escoamento das pessoas de maneira mais rápida e ordenada. A viagem até Orlando foi bem tranquila. Nas paradas que fizemos na estrada conversamos com alguns americanos que estavam deixando suas casas no litoral e também estavam seguindo para o centro do Estado para fugir do impacto do Furacão.

Apesar de movimentado o caminho, não vimos nenhum tipo de caos ou acidentes, pelo contrário, as pessoas se ajudavam e se respeitavam, afinal estávamos todos ali juntos. Aliás preciso destacar o cuidado que todos tiveram com a gente, principalmente quando identificavam que éramos turistas, sempre nos ofereciam ajuda e demonstravam uma preocupação redobrada, o que me fez gostar ainda mais daquele país e de seu povo.

Chegamos em Orlando ainda pela manhã e fomos curtir a Disney e a cidade que amamos tanto, afinal a previsão do furacão chegar era só no final de semana. No dia seguinte recebemos algumas instruções para estocar comida e água. Nos grandes mercados as prateleiras começaram a ficar vazias de produtos enlatados, fraldas, salgadinhos e até água estava difícil de encontrar. Mas conseguimos comprar tudo que precisávamos. Nos orientaram a deixar o tanque do carro cheio, pois as bombas de gasolina são elétricas e poderia haver queda de energia, então fizemos isso também, enfrentamos uma pequena fila, mas sem nenhum incômodo maior.

No Sábado pela manhã já começamos a sentir o vento forte se aproximando, o furacão já havia atingido algumas ilhas e ganhava e perdia forças, poderia desviar ou passar em cima de Orlando, naquele momento as informações eram bem confusas, mas estávamos monitorando tudo e bem tranquilos. Ficamos hospedados no Cabana Bay, hotel da Universal Studios, e tenho que destacar a atenção e o cuidado que tiveram com todos os hóspedes, nos mantinham informados de tudo com telas espalhadas pelo lobby do hotel.

Ainda pela manhã recebemos o aviso do toque de recolher, que aconteceria no Sábado a partir das 18:00 horas, até às 18:00 horas de Segunda Feira, ou seja, deveríamos ficar no hotel durante todo este período. E aí mais uma vez o Cabana Bay nos surpreendeu, fizeram uma programação super animada para estes dias, com música ao vivo, atividades para as crianças e até os Minions apareceram por lá, foi realmente muito legal.

Eu e a sobrinha linda curtindo o Minion no lobby do hotel

O Scooby tbm apareceu por lá…

No Sábado os preparativos para o furacão já podiam ser vistos em toda a cidade. Nas casas as janelas foram lacradas com placas de madeira, no hotel a piscina foi fechada, as cadeiras recolhidas e as mesas foram colocadas dentro da água. Todas as informações de como as pessoas deveriam se preparar para a passagem do Irma eram passadas na televisão o tempo todo. Recebemos também alertas pelo celular, para que a população estivesse realmente preparada. Percebemos um cuidado muito grande com a população, o Governador do Estado estava constantemente mandando mensagens através de pronunciamentos para acalmar a todos e a sensação de segurança foi grande.

Os ventos começaram a aumentar de intensidade e já podíamos ver as árvores do lado de fora se movimentando bastante, mas o dia estava lindo e o sol brilhava lá fora. Como sempre dizem, antes da tempestade vem a calmaria.

Durante a passagem do Furacão Irma os hotéis de Orlando estavam lotados, e aceitando mais hóspedes por quarto do que normalmente fazem, para que todos que precisassem de abrigo pudessem encontrar com mais facilidade. Vimos muitas famílias locais e seus cachorrinhos hospedados no hotel (e eu quase não amei isso…), mas mesmo com o hotel completamente lotado o serviço continuava maravilhoso.

No domingo acordamos mais tarde, afinal teríamos que passar o dia todo no hotel, e já era possível ver que o vento estava realmente forte do lado de fora. A chuva também já havia chegado e era visível a apreensão de todos com a incerteza do que estaria por vir. O dia foi passando e com ele o Furacão ia cada vez mais se aproximando de Orlando.

Quando chegou a noite estávamos todos chocados com as imagens do litoral da Flórida, com muitas enchentes e destruição. Naquela altura a previsão era de que o Furacão iria desviar e que não atingiria Orlando, então ficamos mais tranquilos, uma vez que ele também estava perdendo forças e estava classificado como categoria 3. Perto das 23 horas, estávamos no lobby do hotel e discretamente um funcionário estava abordando os hóspedes um a um e pedindo para que subíssemos para o quarto pois o Furacão não havia desviado e seríamos atingidos.

Subimos para o quarto e corri ver as notícias. Confirmei a informação, o furacão estava realmente indo em direção à Orlando e, como tudo que é ruim pode piorar, recebemos também um alerta de tornado na região. Você pode estar se perguntando, qual a diferença entre eles? Pois eu te explico, o furacão é um vento muito forte que abrange um diâmetro bem grande (vários Km) e não conseguimos ver aquela formação de funil, pois ele é muito grande; já o tornado é aquele clássico do filme do Twister (nossa estou citando um filme muito antigo minha gente, estou ficando velha), mas enfim é aquele funil que vemos descendo do céu e levando tudo que tem pela frente.

Alerta de tornado recebido no celular.

Pois é, então estávamos ali sem saber direito o que iria acontecer. Olhava constantemente pela janela do quarto para ver o que estava acontecendo lá fora, mas chegou uma hora que o vento e a chuva eram tão fortes que não dava para ver mais nada, as paredes do nosso quarto tremiam. Por estarmos no sétimo andar, o penúltimo do hotel, se não me engano, acabamos sentindo mais a passagem do Irma do que outros hóspedes.

 

 

Perto das três horas da manhã o sono estava tomando conta de mim e acabei dormindo mesmo com todo aquele vento batendo na janela do quarto e o hotel sacudindo cada vez que isso acontecia. Pensei que se tivesse alguma emergência o hotel iria nos avisar, então dormi.

No dia seguinte acordei num susto e corri para a janela ver se as coisas ainda estavam lá, a janela do nosso quarto dava para a piscina do hotel, lugar onde tinha muitas árvores. Estavam todas no lugar, alguns galhos caídos, a areia da praia artificial não estava mais onde deveria estar, mas nenhum dano maior. Ainda estávamos com o toque de recolher, só poderíamos sair do hotel depois das 18 horas, eles levam a segurança realmente a sério por lá.

Pelas notícias vimos que muitos bairros de Orlando ficaram sem luz e que a previsão de tornado havia se concretizado, mas ele passou numa região da distante de onde estávamos. Quando deu 18 horas pegamos o carro e saímos para dar uma volta e ver o que tinha acontecido na cidade.

Vimos muitas árvores caídas, placas destruídas, alguns pequenos estragos em casas, mas nada mais sério, nada que uma tempestade não cause aqui no Brasil.

Depois de todo o susto e da mudança completa de planos, nossa viagem foi uma delícia, mas isso vai ser assunto para um próximo post…

Beijos e até a próxima,

 

Read More

California Adventure

Olá pessoas lindas tudo certo com vocês?

Hoje eu vim falar para vocês sobre o outro parque da Disney na Califórnia, o California Adventure. Este parque é simplesmente um arraso. Sério, desde o momento que eu entrei nele eu me apaixonei…

Logo de cara a impressão que tive é que ele lembra um pouco o Hollywood Studios em Orlando, cheio de detalhes e um visual bem Hollywoodiano.

Chegamos bem cedo no parque e, assim como na Disneyland, estava bem tranquilo pela manhã e passou a encher ali pela hora do almoço mais ou menos. Esta é uma dica preciosa, pela manhã você consegue visitar várias atrações sem fila e ainda pegar fast pass para a parte da tarde nas mais concorridas (assim como na Disneyland, neste parque o fast pass é de papel).

Nós pegamos o mapa e começamos nossa aventura. Claro que a grande expectativa do dia era a nova atração dos Guardiões da Galáxia, mas deixamos ela para mais tarde pois a impressão que tivemos é que todas as pessoas que estavam no parque naquele dia foram direto para a fila da nova atração hehehe. Então pegamos o fast pass e fomos conhecer o resto do parque.

Começamos o dia indo no Soarin, que não tinha NENHUMA fila, um milagre!  Em Orlando nem com o fast pass eu consegui ir nesta atração sem fila, foi maravilhoso. Eu já tinha assistido o filme novo no Epcot mas a diferença é que no final ele termina na Disneyland hehehe. Esta atração é sempre uma boa pedida.

Depois de lá e com o calor que estava fazendo resolvemos ir na atração Grizzly River Run, que é uma grande boia que desce pelas corredeiras de um rio. Este brinquedo fica numa área do parque que imita um parque nacional, simplesmente encantadora. A atração é bem legal e bem mais radical do que de costume, tem umas quedas bem grandes e acabamos nos molhando bastante, mas com o calor que estava fazendo secamos rapidinho.

Nesta mesma área do parque tem uma trilha, a Redwood Creek Challenge Trail, onde as crianças podem se aventurar e ainda ter um encontro com o Tico e Teco. Eu confesso que achei a trilha super assustadora, no meio do caminho demos de cara com um inseto muito sinistro e enorme (tenho horror), que estava voando bem perto do chão. Fiquei em pânico e sai correndo (literalmente), mas tirando isso é um passeio bem bonito.

Como eu queria deixar a parte do Paradise Pier para o final, passamos reto até a área dos heróis, até porque já fazia tempo que estávamos andando e estava na hora de fazer um lanche. Eu já tinha visto que eles estavam vendendo um pão de queijo com o formato do Groot, e fui atrás de encontrar. Este pão é vendido em quase todas as barracas na área dos heróis e é muito fofo hehehe. Deu até dó de comer, mas é super gostoso, só fiquem espertos com as crianças por que o pão vem com jalapeños em uma metade.

Depois de comer e tomar uma cervejinha bem gelada continuamos a nossa caminhada, fomos na atração dos Monstros S.A e galera, eu me surpreendi. O brinquedo é uma graça, ele é um carrinho que faz um passeio por toda a história da animação, super legal e interativo. No final ainda tivemos uma surpresa (quem viu no Stories sabe do que estou falando, se você não viu não vou estragar a surpresa). Bem diferente de Orlando onde a atração dos Monstros S.A é um teatro com um show de comédia, lá no California ela é mais um passeio.

Saindo de lá passamos reto dos Guardiões da Galáxia, pois tínhamos fast pass, e seguimos para a área dos Insetos, uma parte mais dedicada às crianças, com várias atrações. Tem até aquelas águas que pulam onde a criançada adora se molhar. Por isso mamães, levem uma troca de roupa para os pequenos e deixem que eles aproveitarem ao máximo. Nesta área do parque costuma ter a atração It’s Tough to Be a Bug!, mas pela proximidade da estréia da nova animação dos Carros, eles estavam passando um pedacinho do filme lá e foi muito legal poder assistir antes de todo mundo, eu amei!!!

Saindo de lá já entramos na área mais maravilhosa de todo o parque, e talvez a mais linda de todos os parques Disney que eu já conheci, a Cars Land. Eu me senti dentro da animação, a cidade foi totalmente recriada dentro do parque o que é realmente impressionante. Tem algumas atrações lá, mas a principal é a Radiator Springs Racers, que simula uma corrida entre dois carros pelas pistas de Radiator Springs, é incrível!! Eu não tenho palavras para descrever esta área do parque, ela é simplesmente encantadora, eu queria ficar lá para sempre (sério). Então separe um tempo do seu dia para conhecer este pedaço do parque, tem várias lojinhas, restaurantes e é simplesmente lindo para tirar fotos.

Nós fizemos uma reserva pelo aplicativo da Disneyland para almoçar no restaurante Carthay Circle Restaurant, e valeu cada centavo, o restaurante é delicioso e fica bem na entrada principal do parque. A decoração do lugar é muito bonita e imita um dos mais famosos e tradicionais cinemas da era de ouro de Hollywood. Fomos muito bem atendidos e comemos muito bem, com certeza voltaria neste restaurante.

Uma outra dica é prestar atenção nos horários do show da Frozen que acontece no famoso teatro Hyperion Theater. O show no estilo Broadway acontece em horários marcados e não tem muitas sessões, então fique de olho, o show é IMPERDÍVEL.

Finalmente chegou a hora mais esperada do dia, a de conhecer a nova atração dos Guardiões da Galáxia. Eu sou uma fã assumida da Hollywood Tower e também dos Guardiões da Galáxia, então só poderia sair coisa boa dessa mistura. Para quem não sabe, a torre do Hollywood Tower foi toda reformada e adaptada para receber a nova atração que ficou simplesmente MARAVILHOSA. Gente não tenho palavras para descrever como ficou sensacional o novo brinquedo, ele já começa com a adrenalina lá em cima, as músicas, as imagens, as quedas, enfim… é tudo muito muito muuuitoo bom. Eu amei a atração, ela ficou incrível e super radical.

Depois de toda a emoção e adrenalina que sentimos na atração dos Guardiões da Galáxia resolvemos manter a vibe. Então, fomos para o Paradise Pier, uma área linda e clássica do parque, com seus brinquedos de parque de diversões.

A primeira atração que fomos foi a montanha russa de madeira (que não é de madeira de verdade) a California Screamin. Ela é super divertida, não é das mais radicais mas dá um friozinho na barriga no momento em que ela dispara no começo da atração. Nesta área também encontramos o Toy Story Midway Mania, o King Triton´s Carrousel, além daqueles típicos brinquedos de parque de diversões.

Com certeza uma das atrações mais marcantes foi a Mickey´s Fun Wheel, que é a roda gigante com a carinha do Mickey. Nesta roda gigante existem duas opções, a que balança e a que não balança. Existem uns pequenos trilhos onde alguns carrinhos deslizam conforme a roda gira, trazendo muito mais emoção para a atração.

Nós optamos por ir na gôndola que balança e minha gente… o negócio é tenso!! Eu morri de medo, toda vez que a roda girava era uma expectativa. Com certeza vale ir pelo menos uma vez para sentir a sensação. A vista é lindíssima lá de cima, então vale o passeio. Se você não é muito aventureiro, opte pelo sem emoção e tenho certeza que vai se divertir.

Neste parque ainda tem a atração da pequena sereia que é uma graça. É um parque bem menor do que estamos acostumados, mas certamente um dos mais lindos, podemos ver a preocupação com os detalhes em cada canto do parte o que deixa a experiência ainda mais emocionante.

De noite no Paradise Pier ocorre o show World Of Color, que é o show de encerramento deste parque. Nós infelizmente não conseguimos assistir ao show (uma ótima desculpa para voltar pra lá). É possível pegar fast pass para o evento, ou fazer um pacote de refeições que garante um lugar privilegiado para assistir. Então, se você quiser ver, o ideal é já garantir no começo do dia uma das duas opções para que você consiga um bom bom lugar, uma vez que o espaço do parque não é muito grande.

Ao fim deste segundo dia de Disney California, posso afirmar que os parques são encantadores, as atrações são super diferenciadas. Se você tem dúvida se vale ou não a pena ir para a Disneyland, eu digo VÁ. Tenho certeza que vai se apaixonar pelos dois parques e todos os seus detalhes. Já não vejo a hora de poder voltar…

Espero que tenham gostado das dicas.

Beijos e até o próximo post.

Read More

Grand Canyon – Parque Nacional e SkyWalk

Olá pessoas lindas tudo bem com vocês?

 

Hoje resolvi contar para vocês um pouco da nossa experiência MARA dentro no Parque Nacional do Grand Canyon. Estivemos por lá em Janeiro de 2017 durante uma viagem de carro pelo meio oeste/sudeste americano e foi algo que realmente marcou minha vida, real oficial!!!

Nós entramos pelo South Rim (entrada Sul) do Grand Canyon, que é uma parte muito bem estruturada, com linhas de ônibus que circulam em rotas determinadas levando os turistas para os pontos de observação, um guest service (centro de visitantes) para atendimento aos turistas, lojas, lanchonetes, banheiros, enfim todas as comodidades que precisamos para explorar o local com conforto e segurança.

Vista de um dos pontos de observação !

Há uma taxa de US$ 30,00 (trinta dólares) por carro para entrar no parque e esta taxa dá direito a entrar e sair durante sete dias inteiros, o que achei muito legal, pois dá liberdade e tempo aos turistas de conhecer o local.

Como mencionei acima, dentro do parque existem algumas linhas de ônibus que levam os turistas até os pontos de observação. Nós chegamos a utilizar o ônibus, mas como estávamos de carro (e era baixa temporada) achamos mais fácil usar ele mesmo, uma vez que as estradas dentro do parque são bem sinalizadas e todos os locais de observação possuem estacionamento para carros.

Mais um ponto de observação.

Em Janeiro o clima da região é bem frio, chegamos a pegar um pouco de neve em alguns pontos o que deixou a paisagem ainda mais exuberante, mas se você não gosta de uma geladeira (ou freezer) o melhor é buscar outra época do ano para visitar. A grande vantagem do inverno é que o parque está bem mais vazio, então você consegue explorar com calma e mais tranquilidade. Porém, algumas trilhas acabam sendo fechadas no inverno.

Falando em trilhas, se você gosta de andar no mato, lá é o local. Existem várias delas pelo parque, inclusive algumas que atravessam toda a grande depressão chegando até o outro lado do Grand Canyon. Certamente as paisagens devem ser maravilhosas, mas não conseguimos fazer estes passeios pela falta de tempo e pelo frio. Mais uma desculpa para voltarmos em outra época… que chato… hahaha.

Apesar do inverno e para a minha extrema felicidade, conseguimos avistar algumas espécies de animais selvagens andando livremente pelo parque, e esta foi uma das coisas que mais amei, pois eu amo animais e vê-los livres em seu habitat é algo que não tem preço. Meu instinto FELICIA teve que ser reprimido e não consegui agarrar nenhum deles, mas que tive vontade tive…

Bonitinhos passeando.

No dia que fomos visitar o parque, como já sabíamos que as trilhas estariam fechadas resolvemos chegar bem cedo para aproveitar ao máximo todos os pontos de observação e foi o que fizemos. As paisagens são de tirar o fôlego, é uma sensação realmente inexplicável estar ali olhando para toda aquela beleza, então separe pelo menos um dia inteiro para poder conhecer o local, e dependendo da época do ano, se quiser explorar as trilhas fique até mais tempo, pode acreditar que vai valer a pena cada minuto.

Nós fizemos tudo com bastante calma, visitamos os museus que existem lá dentro e conhecemos um pouco mais da historia do local. Já perto da hora do almoço nos dirigimos à área próxima ao El Tovar Hotel. Este hotel foi fundado em 1905 e ainda está em funcionamento nos dias de hoje. Fica em Grand Canyon Village, que é uma pequena vila dentro do complexo do Grand Canyon (já deu para imaginar a beleza do lugar, né?).

Um dos museus dentro do parque nacional.

O hotel fica bem na beira do Grand Canyon e é bem requisitado por turistas, deve valer a pena a estadia. Resolvemos almoçar no restaurante do local e ficamos sentados em uma mesa ao lado da janela com a paisagem ao lado. Foi realmente uma experiência incrível e imperdível. Recomendo chegar cedo ao restaurante para conseguir (ou pelo menos tentar conseguir) uma mesa privilegiada.

Vista do restaurante do Hotel El Tovar .

Passamos o resto do dia dentro do Parque Nacional, parando nos pontos de observação e visitando algumas lojas de artesanato dentro de Grand Canyon Village. O Parque Nacional é algo maravilhoso, é onde você vai realmente viver o Grand Canyon, é onde você pode sentir a grandiosidade e a intensidade do local, vai poder observar a natureza e os animais selvagens convivendo em harmonia com a bela estrutura armada para segurança de todos, é realmente algo que se deve ver ao menos uma vez na vida.

Após passar dois dias completamente encantadores dentro do Parque Nacional do Grand Canyon, resolvemos pegar estrada novamente e conhecer a SkyWalk, que é uma espécie de ponte toda transparente suspensa sobre o Grand Canyon. Este é o lado do Grand Canyon que as pessoas que vão para Las Vegas acabam visitando.

A SkyWalk foi construída pelos índios Hualapai na ponta oeste do Grand Canyon. Diferente do Parque Nacional este pedaço do Grand Canyon pertence aos índios (Hualapai) e é explorado por eles. Para vocês terem uma idéia, pagamos cerca de US$ 70,00 (setenta dólares) por pessoa para entrar no local e ter direito a andar na ponte suspensa. Dentro deste pedaço do Grand Canyon não se pode andar de carro. O transporte faz parte dos serviços oferecidos no local, e apenas o ônibus poderá levar os turistas até os três pontos de parada existentes. Em um destes pontos está localizada a SkyWalk. Para entrar na ponte, você deve deixar todos os pertences em um armário, inclusive câmeras e celulares. Claro que existem fotógrafos do local oferecendo o serviço para os turistas, que deverão ao final optar por comprar as fotos tiradas por uma média de US$20,00 (vinte dólares) cada.

SkyWalk – foto do site oficial

Confesso que fiquei decepcionada com este pedaço do Grand Canyon. Além de cobrarem muito caro pelos ingressos, não há quase liberdade para explorar o local. O Parque Nacional do Grand Canyon é muito mais legal em todos os aspectos, principalmente no visual. Então se você realmente quer conhecer o Grand Canyon tire alguns dias a mais na sua viagem e vá ao Parque Nacional, tenho certeza que não irá se arrepender!!

Espero que tenham gostado das dicas pessoas,

até o próximo post !!

 

Read More

Resenha dos produtos MODACAPELLI

Olá pessoas lindas, como vocês estão?

Hoje o papo é muito sério, já que para mim quando se fala de cabelo não tem outro jeito, e a mulherada vai me entender…

É isso aí, o post de hoje é dedicado à ele que nem sempre é nosso melhor amigo, mas que está sempre com a gente… o cabelo! Sim tem dias que o bichinho acorda revoltado e não tem oração que o ajeite, tenho certeza que todas as mulheres que estão lendo já passaram por isso, e acreditem migas, acontece nas melhores famílias.

Eu tenho uma rotina bem corrida, com muitos compromissos, o que me impede muitas vezes de ter o cuidado que o meu cabelo merece (às vezes ele não merece muito… mas é melhor não contrariar) e por este motivo sempre estou buscando produtos diferentes para que, no menor tempo possível, os cabelos fiquem com cara de salão (quem não quer, não é mulherada?).

Para que os cabelos fiquem bonitos, eu costumava buscar produtos no exterior, quando viajava ficava fuçando loucamente pelas prateleiras em busca de alguma novidade. Fora do Brasil temos muitas opções diferentes, então acabava sempre encontrando algo que valia a pena trazer e até gostava bastante. Mas, vamos combinar que a decepção é grande quando os produtos acabam e aí fica aquele vazio no coração, aquela tristeza que invade nosso ser…

Foi aí que conheci a MODACAPELLI, uma marca criada em Blumenau (da terra da Oktoberfest só pode vir coisa boa, vamos combinar). E meninas, sinceramente, depois de usar os produtos meu cabelo ficou tão macio e brilhante que até perdeu a graça a busca por outra coisa. Nesta última viagem à Califórnia, para vocês terem idéia, eu levei os produtos comigo.

Eu usei o Shampoo e Condicionador Fili D´oro Full Repair, que é a linha de reconstrução, ideal para o meu cabelo com mechas. Meu receio com os produtos de reconstrução é que tenho a raiz bem oleosa e as pontas ressecadas e dependendo do produto o meu cabelo acaba ficando muito pesado, com aspecto de sujo, mas a linha da MODACAPELLI hidratou as pontas e não pesou a raiz, o que é praticamente um milagre ! O cabelo ficou super soltinho, hidratado e ainda deu uma levantada na cor, parece que acabei de fazer as mechas. Vejam no vídeo abaixo como ficou o aspecto para terem uma idéia do que estou falando…

Exatamente com o aspecto de salão que eu comentei anteriormente. Fiquei muito feliz e satisfeita e aprendi que não precisamos ir longe em busca de qualidade, temos só que encontrar os produtos certos!! A MODACAPELLI tem insta @usemodacapelli e também facebook, onde vocês podem conhecer todos os produtos deles !!

Espero que tenham gostado da dica, depois voltem para me contar o que acharam !

Beijokas

 

Read More

Disneyland

Olá pessoas lindas !!!

Desculpem a demora para postar, mas estava viajando e por total falta de tempo não consegui escrever por lá…
Pois é gente, alguns que me conhecem melhor sabem que sou uma Disneymaníaca de carteirinha, e um dos meus sonhos (sim tenho vários) é conhecer todos os parques da Disney espalhados por este mundão de meu Deus!
Finalmente neste último mês de Junho eu tive a felicidade de conhecer os parques da Califórnia!! Antes da viagem, todos me falavam para não comparar com Orlando, que os parques eram menores, para não criar expectativas, etc…
Então fui viajar com a mente super aberta, e acabei me surpreendendo positivamente.

Ficamos em Anaheim (cidade onde ficam os parques da Disney) pois estávamos com medo do trânsito e isso nos economizou algumas horas. Na região de Los Angeles a quantidade de carros é absurda! O hotel que escolhemos foi o Homewood Suites – Anaheim Convention Center, bem próximo ao complexo Disney, possibilitando uma caminhada para os parques (muita gente faz isso), ótimo para quem não quer alugar carro. Além disso é super legal, confortável, oferece café da manhã (todos os dias) e uma espécie de janta (de segunda à quinta), o que quebra um galho para quem está viajando com crianças.

No dia seguinte ao da chegada já fomos ao Disneyland Park. Os trens buscam as pessoas no estacionamento e deixam na frente de Downtown Disney, que é uma graça com suas várias lojinhas e restaurantes, visita obrigatória com certeza!!!

Main Street


Logo que entramos na Disneyland ficou aquela primeira impressão de um pequeno Magic Kingdom (mesmo tentando não comparar, é impossível hehe). O clima do parque é maravilhoso, fiquei apaixonada logo de cara. Acho que estava tão animada que fui bem doida entrando e já procurando a primeira atração para ir. Chegamos bem cedo e pela manhã o parque estava bem vazio. Aliás #ficaadica os parques ficam bem tranquilos pela manhã e depois do almoço já enchem bastante.
A Main Street é uma gracinha, o castelo é lindo, porém menor que o de Orlando, mas tão encantador quanto…
A primeira atração que entramos foi a do Indiana Jones e gente, sério, é muito boa!!! Em Orlando existe apenas um show do Indiana então não tinha nem idéia do que esperar e isso foi sensacional. A atração é um simulador que nos leva para dentro de um dos filmes do Arqueólogo, com direito a correr da bola gigante e tudo. Eu amei e olha que nem sou uma grande fã da saga hehehe. Na Disneyland existem algumas atrações famosas, como Pirates of the Caribbean, Haunted Mansion, Peter Pan, Space Mountain, It´s a Small World, entre outras. Entretanto, a maioria delas tem um toque especial, algumas coisas diferentes das que existem em Orlando e isso é muito bom, pois adoro uma surpresa hehehe.

Mark Twain Riverboat

 

Big Thunder Mountain Railroad

Ahh, um brinquedo muito legal que não existe em Orlando é a Matterhorn Bobsleds. É uma montanha russa familiar super divertida, que se passa em uma montanha nevada (por isso o nome) onde temos um encontro inesperado e assustador (nem tanto), mas não vou dar mais detalhes, pois estou má e decidi que não vou contar tudo se não perde a graça!!! Muhahaha.


Na Disneyland tem ainda a ToonTown (cidade do Mickey), onde podemos visitar a casa da Minnie, do Pateta, do Pato Donald e claro do nosso querido Mickey. É uma área com uma pegada mais infantil, mas nem por isso nós adultos não ficamos completamente encantados. É tudo muito fofo e detalhado, nas casas as crianças (e os adultos) podem interagir com os objetos e no final ter um encontro com o ratinho mais querido do mundo todo!!

Agora galera, o show de fogos é simplesmente maravilhoso, eu fiquei apaixonada. Ele faz um pequeno resumo das principais atrações do parque tocando as músicas e as sincronizando aos fogos. Você PRECISA assistir, então, quando chegar no parque, já pegue aquele folder com os horários para verificar quando será o show no dia que você estiver por lá.

Lá na Disneyland o fast pass é de papel, ou seja, não tem como agendar dias antes. Você precisa chegar no parque, ir até a atração desejada e com o seu ingresso imprimir o fast pass para o horário determinado. Eu particularmente acho esse sistema legal, pois diferentemente de Orlando, você consegue o fast pass para todas as principais atrações. Claro que não dá para deixar para o final do dia, pois existe um numero limitado para cada brinquedo, mas no geral eu acho que funciona bem…
O parque tem muitas atrações e se você quer conhecer tudo e ainda explorar as lojinhas (não sei vocês, mas eu preciso ir nas lojinhas) tem que chegar cedo. A gente ficou no parque das nove da manhã até a meia noite, que foi o horário que o parque fechou naquele dia, e mesmo assim teve uma ou duas atrações que deixamos de ir. Então se você quer realmente conhecer, não tem como fazer os dois parques no mesmo dia não. É loucura ir até lá e não aproveitar tudo o que a Disney tem para oferecer.
Neste dia nós fizemos uma reserva (pelo aplicativo Disneyland) e jantamos no Blue Bayou Restaurant, que fica dentro da atração do Piratas do Caribe. O ambiente é simplesmente perfeito para um jantar romântico e você pode ver o barquinho do brinquedo passando pelo rio. É uma experiência maravilhosa, apesar do preço não ser dos mais atrativos, se é que vocês me entendem… hehehe.


Enfim, este primeiro dia na Disneyland foi incrível. A comparação com Orlando é inevitável, mas sinceramente não ficou nem um pouco para trás. Afinal Walt Disney não faria nada menos do que perfeito, a magia e a alegria são presentes em cada canto do parque. Os Cast Members são igualmente simpáticos e treinados para que nossa experiência seja a melhor possível, as filas não são tão encantadoras em sua maioria, pois ficam do lado de fora das atrações, mas nada que prejudique a beleza do lugar.

A experiência foi tão maravilhosa que já estou doida para voltar!!!

Read More

BLOG NO AR !!

 

 

Oii pessoas lindas tudo bem com vocês ?

Este é o primeiro post deste blog lindo e maravilhoso que finalmente saiu do papel !!!

É claro que não sou a pessoa mais tecnológica e entendida do assunto (quem me conhece sabe bem) mas é algo que queria fazer já algum tempo e resolvi me jogar…

 

 

Aqui vamos conversar bastante sobre viagens, comprinhas, dicas e claro tudo isso com muito bom humor, porque sou dessas !!!  heehehe

Espero que gostem e fiquem super à vontade para mandar sugestões e pedidos ok?

Beijinhos e até logo mais,

 

 

Read More